17 de ago de 2012



















Carta de Mim (Dentro)

Suspensa
Venho de onde, na verdade, nunca estive
Venho para trazer notícias de dentro
De mim.
O gosto do vinho e da vontade
O concreto e o abstrato
Em ritmo pleno, no entanto, sigo mansa...
Que venham as notícias, do Douro ou de um arranha céu.
O medo espreita
Escorre por outros assuntos, muitos
Ir embora? Pensar em nada?
Sem peso: segura a batida, vida! Ciranda!
Voltar e reconectar.
Ouvem o que escrevo?
Silencio de felicidade.
Suspensa
Incontrolável tempo bom...
Tropeço nas palavras
E trago notícias daqui
De mim.

24/05/2012

Um comentário:

Di disse...

AMEI...que sensibilidade!!
Adoro a forma delicada com que concretiza algo tão abstrato e íntimo!! DEMAIS!!!
Continue nos encantando assim!!!
Beijo grande, Carol
Saudades